Entrevista super especial com Soraia Nascimento

Finalmente, após exatos dois meses de ausência, retorno às atividades no blog com uma entrevista aguardadíssima e super especial. Não  só por ser a primeira, mas por se tratar de uma profissional reconhecida e muito querida no Ceará, além de uma grande amiga e incentivadora: Soraia Nascimento, a Sol.

Na entrevista ela fala do começo na profissão, da mudança pra Europa, de suas preferências no que diz respeito a moda e estilo, dá dicas pra quem tá começando e nos permite matar um pouco a saudade, pois essa talentosa maquiadora deixou o Ceará há aproximadamente dois anos pra alçar novos voos lá fora. Confiram a entrevista concedida pela Sol via email, a seguir:

Nome completo: Maria Soraia da Silva Nascimento

Idade (se puder falar, é claro!): 32 anos

Local de nascimento: Fortaleza-Ceará

Profissão: Maquiadora

Há quanto tempo você está na profissão? 8 anos

Como começou?

Foi por acaso. Mas é interessante como uma coisa leva a outra. Sempre gostei de maquiagem e na escola, nos eventos relacionados à dança e ao teatro, sempre estive envolvida na parte da produção e maquiagem. Eu tinha algumas maquiagens de uso pessoal e nos eventos falava pras pessoas envolvidas levarem o que tivessem e reuníamos tudo pra podermos fazer a maquiagem. Sempre adorei aquela fantasia toda e não sei como, percebia que fazia algo impecável dentro das possibilidades. Em 1999, comecei trabalhar como modelo. Em pouco tempo fui percebendo o quanto o mercado era restrito para nós negros e vi que não dava mesmo pra sobreviver deste trabalho, porém me encantava demais o mundo da moda, do espetáculo e tudo o que envolvesse a beleza. No meio já conhecia alguns maquiadores que me maquiavam pros trabalhos, como o Nicolas Gondim, a Suely e o Celso Ferrer. Nesta época o mercado de moda em Fortaleza estava crescendo e claro, a agenda destes três ia aumentando. Foi assim que um dia o Galba Sandras, fotógrafo de moda conceituado no mercado, comentou  que gostava do que eu fazia em mim quando me maquiava  e me perguntou se eu gostaria de maquiar as modelos pros Books que ele realizava. No início não foi fácil, porque uma coisa é você fazer bem uma maquiagem em seus próprios traços, outra é fazer em pessoas distintas a cada sessão de fotos. É aí que você percebe que o que funciona no rosto da Gisele Bundchen pode não  ficar com a mesma harmonia no rosto da Adriana Lima, por mais lindas que sejam. E fui desenvolvendo essa aptidão de uma forma não muito fácil, mas já tendo a certeza de que era isso que eu queria mesmo fazer. Um desafio e tanto.

Todo os dias vou percebendo o quanto ainda tenho que aprender e que essa profissão exige não só talento, mas muita vontade de evoluir dentro das constantes mudanças.

Fale sobre a sua mudança para a Europa (como foi, porque você decidiu se mudar, conte-nos um pouco sobre o seu trabalho e sua rotina aí)

Na verdade nunca tinha pensado em viver na Europa. Sempre idealizei minha vida em São Paulo. As coisas foram acontecendo naturalmente, e a medida em que vou acrescentando algo de interessante no meu trabalho  vou ficando e absorvendo ao máximo o que posso aprender. Não tive nenhum outro motivo aparente. Depois de alguns anos de trabalho decidi tirar umas férias mais  longas, de dois meses. Em maio de 2007  viajei pra Portugal – Porto. Uma amiga minha comentou sobre uma empresária que precisava urgentemente de uma maquiadora pra dar aula de auto-maquiagem em sua perfumaria. Achei interessante o desafio de fazer algo que eu nunca tinha pensado em fazer, e na verdade nem o sabia fazer. Fui na mesma hora levar o meu CV. Fiz alguns testes e me contrataram pra todo o verão. Ao fim voltei pra Fortaleza. Em novembro do mesmo ano decidi vir passar um pouco mais de tempo pra ver mais coisas. Desta vez  com um convite para fazer demonstração dos produtos de maquiagem Eva Garden, uma marca de maquiagem Italiana muito bem aceita no mercado europeu. Onde tinha o produto a venda eu ia para um dia de demonstração dos lançamentos  e de toda a gama. Em Outubro de 2008, decidi me mudar pra Espanha-Madrid, onde o mercado de moda é bem mais amplo e competitivo. Vivo no Centro de Madrid. A princípio pensava em ficar fora, mas depois fui percebendo que é no centro onde tudo acontece. As melhores agencias de maquiadores, os melhores fotógrafos de moda e tudo o que está voltado para esse fim. No momento estou fazendo cursos. Aqui tudo é por categorias.  Como já tenho alguns anos de experiência, todos os cursos que tenho feito são para profissionais. Durante todo o mês de maio fiz uma formação pela empresa MAC (Mac cosmétics), com o renomado maquiador oficial Baltasar Pinel Entretanto, desde que cheguei fui fazendo contatos  através dos sites profissionais de moda.  Trabalho para alguns fotógrafos de Madrid, Viktor Kolev, José Luiz Sans, Rodrigo Uquillas, dentre outros…Madrid é uma cidade que tem muita “La movida”. Todos os dias você tem o que fazer. No verão, quando não estava trabalhando, estava fazendo coisas divertidas  como ir aos bares comer tapas  (uma entrada típica  da culinária espanhola). Vou sempre ao Parque do Retiro fazer pequeniques, gosto de ir aos Parques de Atrações de Madrid,  nao pra andar nos brinquedos, mas pra relaxar nas zonas verdes onde e lindíssimo. De vez em quando vou nas Boates mais conhecidas como o Budah e Bangaloo ( tem ótima musica e gente bonita), amo cozinhar com meu namorado pros nossos amigos que sempre vem do Brasil e de  Portugal pra nos visitar, como também adoro me reunir em casa com os meus amigos espanhóis. Gosto de sair sem destino as calles (ruas), entrar em um lugar ou outro… Aqui o lance quando se sai a noite é ficar mesmo de bar em bar, como já ouvi em uma musica de forró no meu Ceará…rsrrs. Durante o dia o que mais me encanta quando saio a rua é ver os artistas alternativos darem show de arte dentro dos Metros, nas estações e nas ruas. É sempre prazeroso ver essas pessoas fazerem isso com tanto amor a arte. Essa é basicamente minha rotina.

Pra você, o que tem sido melhor e o que tem sido pior em morar e trabalhar fora do Brasil?

O que tem sido melhor sinceramente é estar num país com tanta diversidade e culturas aglomeradas e perceber que não sou só eu buscando um objetivo, um sonho. O pior é perceber um pouco da exclusão com o imigrante. Comigo por exemplo, estou agora batalhando por um lugar ao sol, onde só tem bons profissionais. Mas a minha questão nao é a concorrência, é perceber que quem já ta dentro não deixa quem tá fora entrar (por melhor profissional que seja). Você tem que ter muita paciência e humildade e sempre levar consigo o velho ditado: “ É só uma questão de tempo”. E mesmo com isso, nunca esquecer que nao estou em meu país e que cada país tem suas regras. Por, sorte, ou mesmo empenho, tenho aos poucos conseguido realizar proezas de conseguir ter contato direto com fotógrafos. Eles tem sempre seus maquiadores preferidos, que já estão no mercado há décadas, mas tem sempre aquela curiosidade em saber como é trabalhar com pessoas vindas do Brasil. É ai onde eu entro… O que mais me anima  é saber que estou aqui pra aprender, acrescentar e levar isso como uma experiência muito boa, nao importa a dificuldade que eu tenha que enfrentar. Gosto mesmo disto tudo, e que venham mais desafios…

Quais características você considera marcantes no estilo e na personalidade das mulheres daí?

A mulher espanhola é muito, mas muito independente. Nao há aqui submissão em nenhum setor da vida. Os direitos são iguais para eles e para elas. O casamento não é prioridade, e sim o trabalho , filhos é pra daqui uns tempos, quem sabe??? São mulheres desinibidas, provocadoras, de caráter forte e que não tem medo de ousar. Quando o assunto é maquiagem, cabelo e roupa, não importa se  falam bem ou mal: elas escolhem  o que usam de acordo com a sua personalidade. Nao há aquela preocupação  em agradar um meio social, de forma a serem aceitas dentro dele. O meio é que tem de aceitar a mulher dentro de suas escolhas, sejam elas clássicas ou excêntricas. Percebo que o mais importante é nao ter medo de assumir o que você realmente é. Nada é muito chocante aqui, tudo é mesmo uma questão de  estilo e personalidade. Isso , claro, não é uma regra, todo ser humano vive da forma que lhe convém e que lhe faça sentir bem (até porque  Madrid é uma cidade cheia de pessoas de várias nacionalidades), mas a típica madrileña é mesmo assim. Em Portugal, a questão é literalmente oposta. É um país com pessoas de atitudes mais reservadas, chamar atenção ou se destacar não é algo muito aceito ainda como estilo de vida. Maquiagem é algo que quase não se usa, a não ser tons muito discretos, mesmo pela classe mais jovem. Nao são mulheres reprimidas, mas  mulheres que dariam tudo pra ver mais mudanças dentro deste contexto em seu país. Elas admiram muito a nossa forma de viver a vida no Brasil. O valor que damos as coisas mais simples e nossa sempre frenética alegria em sermos brasileiros. O casamento, família e trabalho são prioridade.

Quais as tendências de moda que você mais vê nas ruas?

Há muita diversidade, muitos contrastes. As tendências estão sempre fortes no mercado, mas o fator mais importante é o estilo e personalidade principalmente. Algumas pessoas aqui não se arrumam, elas se divertem caracterizando-se de fato. Os estilos mais interessantes são mesclas de atualidade com  traços dos anos 40 aos 80. Tudo reiventado. Não há regras, tudo é usável. Ousadia é a marca registrada dos madrileños. Outras são mais reservadas e seguem os padrões ditados pela tendência da temporada,  isso evita os erros e  o que parece ser excesso deixa de  ser, é uma questão de personalidade…Na maquiagem e cabelo, não existe  ocasião, o exagero é evidente a qualquer hora do dia ou da noite. É cultural e muito bem aceito no dia a dia. A paixão pela maquiagem dos anos 80, que está sempre atual, segue com seus códigos de cores fortes de  maneira mais harmoniosa e traços com grafismo  mais preciso nos olhos. Claro, dentro deste segmento os lábios são sempre bem marcados com delineador de lábios em cores fortes como o vermelho, vinho ou telha. O estilo sexy das pin-ups é muito usual. Olhos bem delineados e o clássico batom vermelho de ícones como Marilyn e Betty Paige é o preferido das espanholas . Um clássico que está sempre atual. O estilo gótico é muito predominante dentro das tribos seguidoras do Punk. Pele pálida, olhos esfumados com sombra negra e muito marcado com lápis preto na parte inferior dos olhos. Algumas pessoas marcam os lábios em tons muito fortes como o preto mesmo ou contrastam de forma chocante com o nude nos lábios. O cabelo liso é tudo o que uma mulher espanhola evita usar. O volume é a palavra chave. E elas são capazes de tudo pra conseguir esse resultado. Presos com volumes imperativos (tipo Brigitte Bardot ou mais anos 40), cabelos que transportam a época disco e penteados que remetem aos anos 80 com os exagerados topetes. É super comum entrar numa loja de roupa ou maquiagem e as vendedoras lá dentro estarem caracterizadíssimas, produzidérrimas. Isso é o comum na calles (ruas), independente da moda ditada nas temporadas e independente das estações.

Como você define seu estilo?

Não tenho um estilo definido e muito menos uso o que está na moda. Aliás, para mim, tudo o que tá na moda tá fora de moda dentro do conceito de usual para mim. Sigo sempre minha intuição e estado de espírito.

O que você considera essencial ter/usar?

Um bom par de óculos escuros, tênis confortável (pras viagens e pra trabalhar), protetor solar (independente do frio ou calor), câmera fotográfica ( nunca se sabe o que os meus olhos podem captar e querer guardar pra toda vida), Ipod (música  é essencial) e uma mala de viagem  que possa levar várias pancadas e que não deixe quebrar o que contém dentro . Viajo muito e se não tomo cuidado tenho sempre algum prejuízo.

Que dica você daria pra quem está começando no mundo da moda, mais particularmente, no dos pincéis?

Executar menos e absorver mais antes de qualquer ação. O que quero dizer com isso é: antes de por a mão na massa é sempre bom se certificar de cada detalhe da tela que você vai pintar. Use sempre o bom senso. Muitas vezes o cliente pede um look que não tem nada a ver com a modelo que usará aquele cabelo e aquela maquiagem. Nunca diga que não é possível, adapte a maquiagem aos traços da modelo em questão e se possível não descaracterize-a. Uma dica interessante que ajuda muito antes de executar um trabalho de moda é , por exemplo, sempre tentar convencer o cliente de fazer o teste de cabelo e maquiagem antes do dia da sessão de fotos. Tentem trabalhar sempre um tema em cima do que vocês vão criar, conversem, defendam o que de melhor vocês podem dar em um trabalho. Isso ajuda imensamente no desenvolvimento criativo de um maquiador e claro, vai refletir no resultado final . Ficará feliz o cliente e, claro, o artista que somos.

Exercitando todo seu talento em Madrid

Uma mostra dos trabalhos incríveis de Soraia Nascimento

Essa semana recebi a notícia de que minha amiga já está em solo fortalezense! Não vejo a hora de vê-la pra ouvir as novidades e matar a saudade! E claro, pegar umas dicas de make pras festas de final de ano!

Anúncios

Uma resposta em “Entrevista super especial com Soraia Nascimento

  1. AMEI a entrevista!! 😀

    Que bom saber que a Soraia está bem em Madrid! Ela merece tudo isso! 🙂

    Btw, Good to have u back! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s